Política

Prefeito de Bagé e irmão são alvos de ação do MP por improbidade administrativa

Publicada em 19/07/2022 às 08:45h

por ZH


Compartilhe
Compartilhar a notícia Prefeito de Bagé e irmão são alvos de ação do MP por improbidade administrativa  Compartilhar a notícia Prefeito de Bagé e irmão são alvos de ação do MP por improbidade administrativa  Compartilhar a notícia Prefeito de Bagé e irmão são alvos de ação do MP por improbidade administrativa

Link da Notícia:

Prefeito de Bagé e irmão são alvos de ação do MP por improbidade administrativa

O Ministério Público (MP) de Bagé ajuizou uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito do município, Divaldo Lara, e seu irmão, o ex-deputado estadual Luís Augusto Lara, por fatos investigados envolvendo a campanha eleitoral de 2018. A base da denúncia apresentada nesta segunda-feira (18) utiliza informações que levaram à cassação de Luís Augusto pela Justiça Eleitoral, posteriormente confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Conforme o MP, teria ocorrido a prática de atos que causaram danos ao erário, em razão do emprego de servidores municipais na prática de atos de campanha eleitoral para o então deputado Luís Augusto Lara, inclusive durante o horário de expediente.

A promotoria afirma que, na época, ocorreu uma alteração do horário de funcionamento da prefeitura de Bagé para turno único, como forma de viabilizar a participação efetiva dos servidores.Ainda segundo a denúncia, as investigações apontaram para a ocorrência de simulação de férias e manipulação de folha de ponto de funcionários para que pudessem se dedicar à campanha do candidato a deputado estadual. Um carro oficial do município também teria sido utilizado em atos de campanha.

Para a promotoria, a ação ajuizada é motivada pela responsabilização dos agentes públicos envolvidos não somente na esfera eleitoral, mas também no âmbito da improbidade administrativa. O pedido do MP de Bagé é que ocorra o ressarcimento do erário, a perda da função pública, a suspensão dos direitos políticos por até 12 anos, além da multa civil correspondente.

Divaldo Lara se manifestou por meio de nota enviada a GZH por volta das 23h desta segunda-feira. Confira na íntegra:

"DENUNCISMO PRÉ-ELEITORAL

O Ministério Público, através do mesmo promotor, que reincide na sistemática contra o Governo Municipal e à pessoa do Prefeito Divaldo Lara, move ação envolvendo fatos de mais de 4 anos atrás, portanto prescritos, que NÃO SE ENQUADRAM NA NOVA LEI DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA e NÃO TÊM VALIDADE JURÍDICA. O prefeito Divaldo Lara reforça, ainda, que lamenta a insistência do denuncismo da esquerda opositora, que não mede esforços para tentar desconstruir o trabalho realizado na gestão do município, e lembra que das 68 denúncias e processos movidos contra ele ou contra sua gestão, frutos de denúncias petistas, filiados e simpatizantes, foram todos ARQUIVADOS ou julgados improcedentes.

BAGÉ, 18 DE JULHO DE 2022"










Nosso Whatsapp

 (55) 98408-0001

Visitas: 1739096
Usuários Online: 23
Copyright (c) 2022 - Ijuí Express
Converse conosco pelo Whatsapp!