Mundo

Rússia diz que abriu corredores humanitários em Kiev e outras quatro cidades

Publicada em 08/03/2022 às 10:45h

por Redação O Sul


Compartilhe
Compartilhar a notícia Rússia diz que abriu corredores humanitários em Kiev e outras quatro cidades  Compartilhar a notícia Rússia diz que abriu corredores humanitários em Kiev e outras quatro cidades  Compartilhar a notícia Rússia diz que abriu corredores humanitários em Kiev e outras quatro cidades

Link da Notícia:

Rússia diz que abriu corredores humanitários em Kiev e outras quatro cidades

O Ministério de Defesa da Rússia disse que abriu os corredores humanitários em cinco cidades ucranianas, entre elas a capital Kiev, nesta terça-feira (8). Segundo a pasta, as forças russas interromperam os ataques nestes locais a partir das 9h no horário local (4h no horário de Brasília).

Além de Kiev, os corredores estão loclaizados em Cherhihiv, Sumy, Kharkiv e Mariupol, permitindo que os civis evacuem as cidades.

Segundo a vice-primeira-ministra ucraniana Iryna Vereshchuk, o primeiro grupo deixará Sumy, localizada próxima à fronteira com a Rússia, às 10h no horário local. Cidadãos ucranianos já começaram a deixar Sumy e Irpin, próximo a Kiev, na manhã desta terça, informaram autoridades da Ucrânia.

Um ataque aéreo russo a um prédio residencial em Sumy na noite de segunda-feira (7) deixou nove mortos, incluindo duas crianças, informou o Serviço de Emergência da ucraniano.

A Embaixada dos Estados Unidos na Ucrânia reafirmou que a situação “se mantém imprevisível” e pediu aos cidadãos que não cruzem a fronteira com Belarus.

A Rússia havia sugerido um novo cessar-fogo a partir das 10h desta terça, horário de Moscou (4h pelo horário de Brasília), o que indica que está pronta para abrir corredores de retirada de civis na capital Kiev e nas cidades de Chernihiv, Sumy, Kharkiv e Mariupol, As informações são da mídia russa.

A Ucrânia não concordou imediatamente com a proposta e estudava as condições.

Os ataques russos se intensificaram nas últimas 24 horas, mas o comboio próximo a Kiev continua “parado”, segundo a Defesa dos Estados Unidos. De acordo com um funcionário do órgão, a Rússia já empenhou “quase 100%” de suas tropas que estava próximas às fronteiras com a Ucrânia.

Em entrevista à rede americana ABC, o presidente ucraninano Volodymyr Zelensky disse que “a guerra não vai parar na Ucrânia” e que a invasão “vai afetar o resto do mundo”. “Quando os limites dos direitos são violados, pedimos proteção ao resto do mundo. Quanto mais poder ele (Putin) tiver, mais vai querer”, afirmou Zelensky.

O líder ucraniano reforçou o pedido de segurança ao espaço aéreo ucraniano. “A Rússia está nos bombardeando, lançando mísseis, usando helicópteros, jatos e muito mais. Não controlamos nosso espaço aéreo”, disse ele. Zelensky vai discursar, via vídeo, no Parlamento britânico nesta terça.

O Banco Mundial aprovou um pacote de financiamento emergencial de US$ 723 milhões para a Ucrânia e busca criar nos próximos meses um suporte de mais de US$ 3 bilhões ao país, informou o órgão nesta terça.

Rodada de negociações

Uma nova rodada de negociação entre Rússia e Ucrânia ocorreu nesta segunda-feira (7) em Brest, cidade de Belarus, onde foi alcançado um “pequeno avanço” em relação à logística de corredores humanitários na Ucrânia, disse um dos negociadores ucranianos.

“Continuaram as consultas intensivas sobre o bloco político básico dos regulamentos, juntamente com um cessar-fogo e garantias de segurança”, complementou Mykhailo Podoliyak, conselheiro da Presidência ucraniana, no Twitter.

Do outro lado, o russo Vladimir Medinsky avaliou que as negociações “não são fáceis”, e que “é muito cedo para falar sobre algo positivo”, declarou o integrante da comitiva. “Espero que da próxima vez possamos dar um passo maior em frente”, disse.

Também nesta segunda, a Rússia impôs novas condições para cessar a guerra na Ucrânia, sugerindo uma mudança da Constituição do país vizinho para resguardar neutralidade em relação à adesão em blocos, além do reconhecimento da Crimeia como território russo e das repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk como territórios independentes, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

A abertura dos corredores têm sido um pedido constante do presidente Volodymyr Zelensky. Os ucranianos, no entanto, alegam que os russos estão tentando manipular a saída dos refugiados para que o destino seja Belarus ou a própria Rússia.

Após as duas rodadas, foi definido um corredor humanitário e suspensão das hostilidades temporariamente em algumas cidades cercadas pela Rússia, como Mariupol, no Sul da Ucrânia, para que refugiados possam sair e suprimentos para os moradores fossem entregues.

A medida, porém, falhou nas três tentativas realizadas, no sábado, domingo e segunda, com os ucranianos acusando o exército russo de continuar os bombardeios na região.

Danos em infraestrutura chegam a US$ 10 bilhões

A Ucrânia sofreu cerca de US$ 10 bilhões em danos à infraestrutura desde que a Rússia invadiu o país, disse o ministro da Infraestrutura, Oleksander Kubrakov, nesta segunda-feira.

“A maioria das estruturas [danificadas] serão reparadas em um ano, e as mais difíceis em dois anos”.

Kubrakov disse que 40 mil pessoas foram evacuadas da cidade de Kharkiv, no leste, no domingo (6). Mas a Ucrânia apelou à Rússia para deixar os civis deixarem outras cidades e um funcionário do Ministério do Interior, Vadym Denysenko, disse que 4.000 civis ainda precisam ser evacuados dos arredores da capital Kiev.

“A Rússia está fazendo todo o possível para evitar corredores [humanitários]”, acrescentou Denysenko.










Nosso Whatsapp

 (55) 98408-0001

Visitas: 1743395
Usuários Online: 17
Copyright (c) 2022 - Ijuí Express
Converse conosco pelo Whatsapp!