Estado

Depoimento de ex-concorrente da boate Kiss encerra o sétimo dia de julgamento dos réus pelo incêndio na casa noturna

Publicada em 08/12/2021 às 08:15h

por Redação O Sul


Compartilhe
Compartilhar a notícia Depoimento de ex-concorrente da boate Kiss encerra o sétimo dia de julgamento dos réus pelo incêndio na casa noturna  Compartilhar a notícia Depoimento de ex-concorrente da boate Kiss encerra o sétimo dia de julgamento dos réus pelo incêndio na casa noturna  Compartilhar a notícia Depoimento de ex-concorrente da boate Kiss encerra o sétimo dia de julgamento dos réus pelo incêndio na casa noturna

Link da Notícia:

Depoimento de ex-concorrente da boate Kiss encerra o sétimo dia de julgamento dos réus pelo incêndio na casa noturna

Já considerado o mais longo da história do Judiciário gaúcho, o julgamento dos réus pelo incêndio que matou 242 pessoas na boate Kiss chegou ao seu sétimo dia consecutivo de depoimentos. O último a ser ouvido nesta terça-feira (7) foi a testemunha Nilvo José Dornelles, ex-proprietário de outra casa noturna de Santa Maria, a Ballare.

Em uma oitiva encerrada pouco antes das 22h30min, o empresário declarou que era normal o uso de pirotecnia nos shows de bandas como a Gurizada Fadangueira, atração no palco da Kiss na madrugada fatídica de 27 de janeiro de 2017. Ele também disse as bandas não eram avisadas sobre condições estruturais dos estabelecimentos.

Antes dele, outras duas pessoas foram ouvidas. Primeiro foi a vez da testemunha Venâncio Da Silva Anschau, técnico de áudio da banda Gurizada Fandangueira e que estava no estabelecimento na noite do incêndio.

Em seguida, a arquiteta Nivia Da Silva Braido falou na condição de informante. Também prestou esclarecimentos a testemunha Gerson da Rosa Pereira, subcomandante dos Bombeiros na Região de Santa Maria na época da tragédia. Trechos mais longos das oitivas podem ser conferidos no site tjrs.jus.br.

Programação desta quarta

A partir das 9h desta quarta-feira (8), estão previstos os depoimentos de pelo menos quatro testemunhas, todas arroladas pelos quatro réus no processo (dois integrantes da banda e os dois sócios da boate).

São elas o então ex-prefeito de Santa Maria Cezar Schirmer (atual secretário municipal em Porto Alegre), o promotor de Justiça Ricardo Lozza, o publicitário Fernando Bergoli e o ex-distribuidor de bebidas Geandro Kleber de Vargas Guedes.

O passo seguinte serão os interrogatórios dos acusados. O Tribunal do Júri é presidido pelo juiz Orlando Faccini Neto e conta com sete jurados que formam o Conselho de Sentença.

Quem já foi ouvido

Desde o dia 1º de dezembro, já prestaram depoimento 24 pessoas, dentre vítimas, testemunhas e informantes. Confira, a seguir, quem havia sido ouvido no Plenário do Fórum Central de Porto Alegre antes desta terça-feira:

– Kátia Pacheco (vítima) – Ex-funcionária da Kiss, trabalhava na cozinha e na copa.

– Kelen Ferreira (vítima) – Sobrevivente da festa, teve parte da perna amputada.

– Emanuel Pastl (vítima) – Estava na boate com amigos, comemorando o aniversário dele e do irmão gêmeo.

– Jéssica Rosado (vítima) – Perdeu o irmão na tragédia.

– Miguel Pedroso (testemunha de acusação) – Engenheiro que fez o projeto de acústica para a Kiss resolver problemas de ruído.

– Lucas Peranzoni (vítima) – DJ que tocava na casa na noite do incêndio.

– Daniel Silva (testemunha de acusação) – Proprietário do estabelecimento onde foi comprado o sinalizador que causou as chamas.

– Gianderson Silva (informante) – Funcionário da empresa que fazia a manutenção de extintores na boate. Foi tornado informante devido a uma postagem da filha em rede social, na qual ela reproduziu o que o pai pensava a respeito dos réus.

– Pedrinho Bortoluzzi (testemunha/Marcelo) – Abonou o comportamento do réu Marcelo, de quem foi patrão.

– Erico Garcia (vítima) – Ex-barman da Kiss e que ajudou a colocar a espuma nas paredes e no teto junto ao palco. Ajudou no resgate das vítimas.

– Alexandre Marques (testemunha/Kiko) – Atuava como produtor bandas para boates e era roadie de um grupo musical. Não estava na boate no momento do incêndio.

– Maike Santos (vítima) – Estava na festa e perdeu cinco amigas.

– Cristiane Clavé (vítima) – Além da perda de amigos no incêndio, ficou com queimaduras nas mãos.

– Tiago Mutti (informante) – Irmão de ex-sócia da Kiss (anterior aos réus). Atuou na reforma do prédio e, por responder a processos ligados ao caso, é tratado com informante.

– Delvani Rosso (vítima) – Estava na boate na noite fatídico. Foi salvo pelo irmão e teve 50% do corpo queimado.

– Doralina Peres (vítima) – Ex-segurança da casa noturna.

– Stenio Fernandes (testemunha/Kiko) – Ex-promoter, divulgava e vendia ingressos para festas universitárias. Saiu da festa antes do início do fogo.

– Willian Machado (vítima/Kiko) – Sobrinho de um dos proprietários, trabalhava na boate promovendo festas e estava no local quando as chamas tomaram conta.

– Nathália Daronch (vítima/Kiko) – Esposa de um dos sócios da boate, estava grávida de 4 meses quando sobreviveu ao incêndio.

– Márcio Santos (testemunha/Marcelo) – Irmão de um réu, era percussionista da Gurizada Fandangueira na festa .










Nosso Whatsapp

 (55) 98408-0001

Visitas: 1743369
Usuários Online: 25
Copyright (c) 2022 - Ijuí Express
Converse conosco pelo Whatsapp!