Estado

"O RS não pode ficar de fora e deve cumprir sua parte?, diz Leite na COP26, sobre ações para combate a mudanças climáticas

Publicada em 07/11/2021 às 10:02h

por Noroeste online


Compartilhe
Compartilhar a notícia   Compartilhar a notícia   Compartilhar a notícia

Link da Notícia:

Depois de três dias de intensas agendas na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26), em Glasgow, na Escócia, o governador Eduardo Leite, acompanhado dos secretários Artur Lemos Júnior (Casa Civil) e Luiz Henrique Viana (Meio Ambiente e Infraestrutura) ressaltam a urgência da necessidade de inserção na agenda global de enfrentamento às mudanças climáticas.

“Encerramos nossa participação da COP26 depois de três dias, nos quais tivemos diversos diálogos, trocas de experiências e apresentamos nosso portfólio de projetos ambientais. Dividimos o espaço com representantes da sociedade civil, do empresariado, de governos, de think tanks e de ativistas, todos reunidos nesse caldeirão que é a COP26. Vimos aqui a oportunidade que temos, do ponto de vista econômico, por meio de uma agenda que se impõe com urgência para o mundo e, consequentemente, para o RS. Temos que cumprir os compromissos que assumimos e entender a oportunidade econômica que se apresenta para que estejamos inseridos nesta agenda. O RS não pode ficar de fora e deve cumprir sua parte”, destacou o governador.

Leite se refere em especial ao compromisso Race to Zero, espécie de competição saudável entre os países, com participação de governos estaduais, municipais e da sociedade civil, para zerar as emissões de carbono até 2050. O compromisso foi assumido pelo RS em 25 de outubro deste ano.

“Participamos de reuniões e de painéis com representantes de praticamente toda a cadeia, desde aqueles que mais sofrem com os efeitos das mudanças climáticas como aqueles que estão agindo para tentar impedir que a situação piore. Vimos que o RS, como governo, tem se preocupado com o tema e que está no caminho certo”, disse o secretário Luiz Henrique Viana.

A ausência de representantes do governo federal chamou atenção não só à comitiva, mas também a muitos dos ativistas e líderes com quem Leite se encontrou. Mesmo assim, o governador destacou que essa é uma oportunidade de engajamento ainda maior por parte dos governos estaduais e da sociedade.

Para o secretário Artur Lemos, o trabalho intenso dos países com relação à transição energética justa foi um dos pontos altos da COP26. “Esse é um dos caminhos que avaliamos para que o RS possa ser pioneiro, e estamos levando a novidade do projeto do hidrogênio verde ao Brasil. Tivemos boas reuniões bilaterais sobre o tema com representantes de vários países”, destacou.

Embora a matriz energética do RS seja composta por 80% de fontes renováveis, o Estado ainda quer avançar. “A geração de hidrogênio verde é uma oportunidade também para o Estado, é uma nova fonte de energia, ambientalmente sustentável e, economicamente, é algo que pode suprir a demanda interna e ainda ser ampliada para exportação”, afirmou o governador.

A participação da comitiva estadual na COP 26 terminou na manhã desta sexta-feira (5/11), com duas reuniões de trabalho. Nesta sexta à tarde, o grupo iniciou retorno ao Brasil, com chegada prevista para sábado (6/11).

Intenção de iniciar geração de hidrogênio verde

Na manhã desta sexta-feira (5/11), o governador Leite, acompanhado pelos secretários Artur Lemos e Viana, se encontrou com a ex-presidente da Irlanda e atual líder do The Elders, Mary Robinson, e com o chefe da Diretoria de Política Internacional do Ministério Federal do Meio Ambiente da Alemanha, Norbert Gorissen. Foram duas reuniões de trabalho, nas quais o governador destacou a importância da pressão política internacional sobre o governo federal para que as ações de combate às mudanças climáticas de fato se tornem realidade.










Nosso Whatsapp

 (55) 98408-0001

Visitas: 1740312
Usuários Online: 28
Copyright (c) 2022 - Ijuí Express
Converse conosco pelo Whatsapp!