Ijuí Express
Esporte

Grêmio bate o Ypiranga e larga em vantagem na final do Gauchão

Publicada em 26/03/2022 às 19:22h

por Correio do povo


Compartilhe
Compartilhar a notícia Grêmio bate o Ypiranga e larga em vantagem na final do Gauchão  Compartilhar a notícia Grêmio bate o Ypiranga e larga em vantagem na final do Gauchão  Compartilhar a notícia Grêmio bate o Ypiranga e larga em vantagem na final do Gauchão

Link da Notícia:

Grêmio bate o Ypiranga e larga em vantagem na final do Gauchão

Ypiranga e Grêmio protagonizaram uma apresentação de gala na partida de ida das finais do Gauchão. Na tarde deste sábado, no Colosso da Lagoa, o Tricolor contou com a ajuda do VAR para superar os donos da casa por 1 a 0, em Erechim. Em lance envolvendo Churín, o pênalti foi marcado e Lucas Silva colocou a vantagem na conta da equipe gremista para a partida de volta.

Com o resultado, o Tricolor joga pelo empate para levantar o penta do Gauchão no jogo de volta, na Arena, no dia 2, às 16h30min. O Ypiranga, para se livrar dos pênaltis, precisa superar os donos da casa com por mais de um gol de diferença.

Campaz, Elias e um paredão chamado Edson

A expectativa em Erechim era grande. De um lado, um gigante acostumado a decisões. Do outro, uma das forças do Interior que chega a sua primeira final de Gauchão. O Tricolor contou com o retorno de Villasanti, formando a trinca no meio com Lucas Silva e Bitello. Pelo Canarinho, foi nítida a estratégia de jogar nas costas de Diogo Barbosa, que se provou acertada ao longo do primeiro tempo.

Os minutos iniciais foram de estudo dos donos da casa, mas foi o lado azul que assustou de primeira. Aos seis minutos, na ponta-direita, alçou a bola na área do goleiro Edson. No oportunismo, Elias dominou na pequena área e finalizou na saída do arqueiro do Ypiranga, que fez uma bonita defesa à queima roupa. Incentivados pelos 6 mil torcedores no Colosso da Lagoa, o Grêmio assustou novamente. Bitello lançou novamente Campaz pela direita. O meia tocou na saída de Edson, mas a bola beijou a trave no caminho. O relógio marcava 10 minutos.

Não é insistência ou repetição, mas o nome de Campaz aparece pela terceira vez nesta crônica. Aos 15, Diego Souza, em velocidade, ajeitou para o meia após toque de Bitello. O colombiano chegou batendo, mas sem equilíbrio, e mandou para fora. O Grêmio seguiu criando chances, abusando das ligações rápidas entre defesa e ataque, principalmente com a bola era recuperada ainda no meio-campo.

O Ypiranga respondeu com Hugo Almeida. Porfírio fez boa jogada pela ponta-esquerda e cruza por baixo, deixando para trás a marcação de Lucas Silva e Campaz. O atacante erra em bola e perde a chance de inaugurar o placar. Nos primeiros minutos da etapa complementar, foram os donos da casa que começaram melhores.

 

A melhora da equipe de Erechim com as trocas foi nítida. Aos 18, mais uma grande chance. Falcão recebe Erick, que domina e chuta. A bola explodiu no travessão. No rebote e no oportunismo, Hugo Almeida rebateu, obrigando Brenno, quase de joelhos, a espalmar para o lado e evitar o gol do Ypiranga.

 

No contra-ataque, o Grêmio buscou retomar as ações ofensivas. Bitello lançou Janderson, que entrou no lugar de Campaz, na ponta-direita. O atacante entrou na grande área, bateu cruzado, mas a bola foi para fora. O 0 a 0 seguia e o relógio marcava 25 minutos. 

O segundo tempo era do lado amarelo. Falcão, em uma brilhante atuação, conseguia fazer a leitura do jogo e criava boa parte das jogadas do Ypiranga. Foi dele mais um chute perto da grande área, aos 29, após escorada de Hugo Almeida no pivô. Se a bola não pegasse amplitude, teria endereço certo no fundo das redes.

A partida parecia encaminhada na igualdade quando o VAR deu as caras. Na disputa dentro da área, Amorim derrubou Churín. O lance seguiu normalmente até Anderson Daronco consultar a tela e marcar a penalidade e ouvir gritos de “vergonha” da torcida da casa. Lucas Silva, frio e calculista, aos 47, chutou forte e no canto direito. Sem chance para Edson. O Grêmio abre o placar acompanhado da avalanche das arquibancadas.

O final da partida em Erechim foi marcada pelos nervos à flor da pele. Indignados com o penâlti, tanto a torcida quanto a comissão técnica pressionaram a arbitragem. Quando o tempo regulamentar havia terminando, um integrante da comissão técnica do Ypiranga foi expulso. Com isso, Luizinho Vieira teve que deixar a casamata e ser levado para fora de campo após os pedidos de Daronco. Com as vaias e gritos das arquibancadas, o Grêmio deixou Erechim com a vantagem










Nosso Whatsapp

 (55) 98408-0001

Visitas: 1689361
Usuários Online: 18
Copyright (c) 2022 - Ijuí Express
Converse conosco pelo Whatsapp!