Terça-feira, 26 de Maio de 2020
Ijuí e Região

Da expectativa ao sonho: Hospital Público Regional de Palmeira das Missões está se tornando realidade

Publicada em 22/05/20 às 21:54h - 41 visualizações

por Depto de Jornalismo


Compartilhe
   

Link da Notícia:

O sonho tomou forma e está em movimento. Nesta sexta-feira, 22, a obra do Hospital Público Regional - HPR de Palmeira das Missões completa um ano desde seu início em maio de 2019. Quem passa pelo km 01 às margens da BR 468, se encanta com a proporção da construção que há alguns anos ninguém imaginaria que seria concreta.

O sonho é real. A obra é realidade. Em 2020, ao completar um ano, os sons e elementos da edificação anunciam que praticamente 100% da estrutura do HPR está concluída. Para os engenheiros da SIAL Engenharia, empresa responsável pela obra, Jairo Luiz de Souza e Adolfo Freire, o Hospital Público Regional representa um marco histórico em suas vidas.

Em entrevista, quando perguntados sobre o significado de estarem construindo a maior obra pública da região, ambos responderam que se sentiam felizes e orgulhosos. O legado que irão deixar para a comunidade regional e, principalmente, para suas famílias, é realmente muito maior do que qualquer herança. “A alegria de ver minha filha dizer que aquela obra foi o papai que fez, não tem como explicar. Com certeza vou trazer meus filhos e minha família para conhecerem”, afirma Adolfo.

De acordo com o engenheiro civil e gestor do contrato, Jairo Luiz de Souza, um dos maiores objetivos da empresa, além da construção, era quebrar o paradigma de que a obra não seria concretizada. “Em um ano conseguimos atender a expectativa, principalmente dos palmeirenses que achavam que a obra não sairia do papel. Quando apresentamos quase 100 % da estrutura concluída e a obra caminhando a passos largos com alvenaria, reboco, estrutura metálica contratada, mostramos que a empresa veio para concluir o que está em contrato, aquilo que nos comprometemos com o munícipio e a região”, salientou.

O gestor destaca também a importância da equipe na concretização do projeto. “Um dos maiores desafios de qualquer gestor é montar sua equipe. No chão de obra, temos pessoas de várias localidades do Brasil, mas, na administração basicamente a equipe foi montada com pessoas da cidade, é assim a área de segurança, no RH, compras, apoio técnico, entre outros, gerir essas pessoas, e fazê-los entender o grau de complexidade e responsabilidade que temos é um desafio a parte, mas que vem dando certo visivelmente e comprovado com números. A Engenharia, o Mestre Geral e o Chefe do almoxarifado são de fora, os demais da ADM são nativos de Palmeira ou região”, ressaltou.

A construção desta importante obra, que vai ajudar a atenuar a luta e o sofrimento de pacientes que buscam auxílio na rede pública de saúde, também é um momento importante na vida dos mais de 250 operários diretos e indiretos que prestam seus serviços na obra do HPR. O palmeirense João Paulo da Silva Moura trabalha há 10 meses como contra mestre e, para ele, é difícil descrever o tamanho do orgulho que sente ao fazer parte desta história. “É uma obra de grande porte, de uma grande necessidade para nossa comunidade. O hospital vai atender toda carência em saúde da região e vai evitar que muitos de nós se desloquem para grandes centros. O orgulho e satisfação de fazer parte dessa equipe e de tudo isso é imenso, é até impossível medir”, contou o mestre orgulhoso.

O curitibano, Sérgio Luiz Simiano, que trabalha há 11 anos na área da construção civil e atua no almoxarifado, revela que a obra proporciona uma grande troca de conhecimento entre todos, uma vez que as experiências se multiplicam com a vinda de trabalhadores de diferentes regiões. “Essa troca gera uma perspectiva de crescimento tanto profissional como pessoal para todos. Me sinto feliz em contribuir com minha experiência e com a evolução da obra. Por isso, é importante que a população acredite neste projeto e nos incentive a fazer sempre o melhor”, finalizou.

Além dos veteranos, o Hospital Público Regional também oferece oportunidade para os iniciantes. A arquiteta, também palmeirense, Danieli Rodrigues, destaca a experiência de trabalhar em uma das maiores obras do interior gaúcho. “Como eu sou recém-formada, seria muito difícil ter uma experiência numa construção desse porte e, assim que surgiu essa chance, não pensei duas vezes, vim para agregar conhecimento com os engenheiros já renomados. Então, para mim tem um significado bem importante e é um orgulho estar aqui dentro. Acompanhar desde o começo, ver o crescimento da obra até o seu fim, é realmente incrível”, disse.

Especialidades

A estrutura física que irá medir 32 mil metros quadrados, vai contar com 225 leitos no total, sendo 40 de UTI, 180 de internação e cinco berçários para cuidados intermediários e, atenderá gratuitamente e, exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde - SUS, pacientes dos 72 municípios das regiões Norte e Noroeste do Estado. Além disso, a instituição atenderá especialidades médicas como traumatologia e ortopedia, neurologia, obstetrícia, oncologia, urologia, cardiologia, hemodiálise, entre outras. A comunidade também terá à disposição os serviços de diálise, patologia clínica, agência transfusional, fisioterapia e quimioterapia.

A estrutura possui 9 blocos, os quais estão distribuídos em: bloco 1 auditório; bloco 2 internação adulto; bloco 3 internação infantil; bloco 4 centro cirúrgico; bloco 5 recepção; bloco 6 ambulatório; bloco 7 administrativo; bloco 8 emergência e bloco 9 de apoio logístico e técnico.

Na construção do HPR, serão gastos R$ 115 milhões na obra que, de acordo com o contrato estabelecido entre empresa e Prefeitura, deve estar concluída em 24 meses. De acordo com o Plano Operativo, a casa de saúde deverá entrar em funcionamento em 2022, com estimativa de cinco anos para a implementação de toda a sua capacidade.

Atualmente, está em execução a estrutura 2 - pavimento do bloco 4 (centro cirúrgico) e bloco 9 (apoio logístico e técnico); Alvenarias dos blocos 1/2/3/5/6/8; Também estão em execução os rebocos internos dos blocos 1/2/3; A infraestrutura de instalações elétricas e hidráulicas dos blocos 1/2/3/5/6/8 estão em fase de conclusão, além do término de 80% das redes pluvial e de esgoto externas. No último mês também foram concluídas as estruturas dos blocos do auditório, internação adulto e infantil, recepção, ambulatório e emergência. Da mesma forma, já está concluída a cisterna de água potável e a caixa d'água elevada com uma torre de aproximadamente 40 m de altura com estrutura 100% concluída.

Segundo Jairo, ao longo desse ano de trabalho, um dos momentos mais importantes da obra é este, chegar nessa fase com esse resultado. “Fizemos a terraplanagem e toda estrutura, daqui para frente partimos para o acabamento. De um início de incertezas e desconfianças para muitos, o estágio atual da obra elimina qualquer dúvida sobre a sua conclusão, e melhor, temos recebido muito apoio e energia positiva da comunidade para concluirmos este sonho. Dentro de um ano, o grande marco foi esse. Essa é uma conquista que é tanto nossa como dos palmeirenses”, concluiu o engenheiro.

HPR e a Covid-19

A covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, não foi empecilho para continuidade das obras de construção do Hospital Público Regional. Seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, a construção segue seu ritmo com mais de 230 trabalhadores. No entanto, é importante ressaltar que, de acordo com os engenheiros da SIAL, a obra precisaria contar com pelo menos 400 funcionários, o que no momento é inviável em virtude da pandemia.

A obra que proporciona emprego e renda para mais de cem palmeirenses, também recebe operários vindos de outras regiões e para evitar qualquer tipo de contaminação, os que chegam de fora são orientados a ficar em quarentena. Dessa forma, todos os que trabalham na construção do hospital recebem instruções e os devidos cuidados de higiene e prevenção contra o Coronavírus.

De acordo com o prefeito de Palmeira das Missões, Eduardo Russomano Freire, a obra está sendo realizada conforme o planejamento, o cronograma estabelece um curto prazo e a empresa vem cumprindo. “É evidente que a Pandemia diminuiu o ritmo da obra, pois estamos seguindo todas as orientações sanitárias que estabelecem certas limitações. A empresa vem respeitando um regramento rígido e colaborando para que não seja necessário uma paralisação”, assegurou.

Referência para Palmeira das Missões e Região

Para Freire, a obra do HPR é a concretização de um sonho da população de Palmeira das Missões e dos mais de 70 municípios da região. “O sentimento é de que estamos cumprindo o nosso dever, tirando do papel um sonho de toda região muito carente em saúde de média e alta complexidade. O nosso maior mérito foi trabalhar com seriedade e sempre acreditar, nunca levando em consideração opiniões negativas e batendo de frente com aqueles que tentavam desfazer o projeto. Esse é um projeto construído a muitas mãos, com a participação de diversas lideranças que sonharam em ver a nossa região como referência em saúde pública”, completou Freire.


Fonte: RD Foco




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (55) 8408-0001

Visitas: 675322
Usuários Online: 145
Copyright (c) 2020 - Ijuí Express